“Ceará precisa da ação articulada dos poderes pra enfrentar o feminicídio”, defende Acrísio Sena


Essa notícia também possui um Podcast:

Em menos de três anos, o Ceará já atingiu a marca de 84 feminicídios segundo o Atlas da Violência. A gravidade dos casos, segundo o deputado estadual Acrísio Sena (PT), é maior por conta do perfil dos agressores. O levantamento revelou que todas as mulheres mortas já tinham sofrido violência doméstica, sendo 37,5% com histórico de violência física e aproximadamente 87,80% (36) delas eram mães. “No ano passado nos reunimos com a vice-governadora Izolda Cela para tratar sobre este tema”, lembra o parlamentar. 

Na oportunidade, Izolda Cela propôs a criação de uma câmara técnica específica, no programa Ceará Pacífico. Acrísio adiantou que também irá sugerir à Polícia Civil, através do delegado geral Marcus Rattacaso, que se constitua um departamento especializado neste tipo de crime, vinculado à Delegacia da Mulher. "Somente uma ação articulada entre Executivo, Legislativo e Judiciário pode enfrentar esta questão do feminicídio com a urgência e a gravidade que a questão merece", propõe.

ENTRE EM CONTATO